Minha experiência como Au pair na Alemanha

Sempre me perguntam sobre como foi a minha experiência de Au pair na Alemanha, então resolvi contar um pouco como foi essa minha aventura nas terras germânicas convivendo com uma família típica alemã da região de Stuttgart, fazendo curso de alemão, vivenciando uma nova cultura e ajudando na educação das crianças! Antes de ser Au pair na Alemanha pesquisei muito sobre o tema, conversei muito com outras intercambistas, muitas relataram sobre experiências traumáticas, sobre choque cultural, sobre não se adaptar na família alemã sobre experiências negativas com a cultura alemã e também sobre trocas de família. Neste artigo  você tem informações detalhadas sobre como escolher uma boa família na Alemanha,  dicas para se agenciar como Au pair, sites de agências confiáveis de Au pair e todas as informações básicas que toda Au pair necessita. Confira!

Eu fui Au pair na Alemanha em setembro de 2008 até setembro de 2009. No intercâmbio de Au pair na Alemanha você vivencia na íntegra a cultura do país morando com uma família alemã e cuidando das crianças sendo uma espécie de “irmã mais velha”, você pode optar por apenas 6 meses de Au pair (não recomendo, pois é um tempo muito curto para aprender o idioma), ou 12 meses, que é o ideal para aprender mais o idioma alemão. Você pode estudar o idioma, visita um curso durante dois semestres (os cursos geralmente são pagos pela família, mas não são todas as famílias que estão dispostas a pagar, portanto é preciso que a Au pair converse com a família anfitriã antes de vir para a Alemanha para evitar constrangimentos com a família. No meu caso, eu pedi que a família alemã pagasse o meu curso de dois semestres juntamente com os livros de estudo e eles me enviaram um comunicado por escrito (é extremamente importante estar no contrato de Au pair os seus benefícios como Au pair na Alemanha) constando que iriam pagar os cursos e o material de estudo.

O que é o Au pair ?


No Au Pair você trabalha até 30 horas por semana com cuidados infantis, que compreendem: alimentar as crianças; levá-las à escola; passear;  organizar seus objetos pessoais e seu quarto; e ajudar em algumas tarefas domésticas de cozinha e limpeza.” No meu caso, estava escrito no meu contrato de Au pair 70% de trabalho com crianças e o restante ajudar nas tarefas domésticas simples. As tarefas eram relatadas no contrato detalhadamente, tais como, ajuda na organização do quarto das crianças e da cozinha.

deutschland-festa-057

Requisitos básicos para ser Au pair na Alemanha:

  • Amar crianças e amar cuidar delas
  • Ter o desejo de conhecer uma nova cultura e aprender um novo idioma
  • Ter entre 18 e 26 anos
  • Não ter filhos
  • Não ser casada
  • ser saudável (estar com todas as vacinas em dias)

Agenciamento:

Na época, procurei na internet uma agência que tinha no Brasil e na Alemanha, o nome da agência era a DAZB ( Deutsche Au pair Zentrale Agentur in Brasilien), procurei novamente a agência no google, para deixar como referência para vocês, pois eles fizeram um ótimo serviço e me auxiliaram muito no período que ainda estava no Brasil me comunicando com as famílias da Alemanha. Infelizmente a agência não existe mais. Geralmente as agências de Au pair cobram uma taxa para o agenciamento, assim eles são encarregados de procurar uma família para você na Alemanha e lhe enviam o formulário de Au pair, contrato em português e em alemão, um atestado médico em português e alemão declarando todas as vacinas (isso precisa ser confirmado com a assinatura do seu médico no Brasil) e esclarece dúvidas da Au pair com relação a vida na Alemanha, as cidades onde ficar, sobre cursos de alemão, sobre a moradia na Alemanha com a família, os direitos e deveres da Au pair e as perguntas que você precisa fazer para a família. Caso você esteja na família alemã e aconteça algum problema de adaptação, ou até mesmo de exploração do serviço da Au pair, a agência se reponsabiliza por você e são obrigados a procurar outra família na Alemanha para você dar continuidade ao intercâmbio. Caso exista problemas de comunicação, desentendimentos, a agência também procura intermediar a conversa entre a Au pair e a família anfitriã para tentar resolver os problemas, caso não haja resolução dos problemas o contrato é interrompido e a Au pair é enviada para uma outra família na Alemanha.

A agência realmente me ajudou muito, mas caso você queira se agenciar, recomendo o site da www.aupairworld.com e da Au pair Cultural Care, que são as duas agências mais recomendadas por outras Au pair´s no mundo inteiro.

Como escolhi a família?

Foi um longo processo até escolher a família alemã. Fiquei um ano agenciada, pois ainda estava terminando o meu bacharelado no Brasil e decidi ir fazer o intercâmbio somente após concluir meu bacharelado em comunicação social, pois aspirava também um mestrado na Alemanha, para isso precisava ter meu diploma do Brasil nas  mãos. Durante este um ano, a agência meu enviou vários contatos de famílias interessadas, duas delas eram famílias que já sabiam muito bem o português por terem morado à trabalho no Brasil. Naturalmente preferi não optar por uma família que fala português. Eles me contataram por telefone e somente falavam português comigo e até mesmo os e-mails que recebia da família eram somente em português, eles diziam que como preciso aprender alemão, ficaria mais fácil comunicar comigo em português para que eu entenda todas as minhas tarefas com as crianças. Pense bem, isso é péssimo para uma Au pair, pois o objetivo do Au pair é aprender o idioma no país, juntamente com os pais das crianças e com as crianças, com certeza, eles não teriam a paciência de falar em alemão, pois no começo não tem como você entender tudo automaticamente, a Au pair precisa de tempo e de uma família que realmente a apoie, e incentive a aprender o idioma. Conheço Au pair´s que moraram com uma família deste tipo, e elas tiveram muitas dificuldades para aprender o alemão e até mesmo a adaptação com a família foi difícil. Portanto, resolvi esperar até aparecer uma família ideal para o intercâmbio.

criancas-015

Foi então que a família me enviou o contato desta família, que foram super atenciosos e a comunicação foi toda em alemão. O começo antes de ir para a Alemanha não foi fácil, recebia muitos e-mails da família alemã e passava horas traduzindo, recebi a carta convite e pedi que minha tia (que já morava na Alemanha há 20 anos) que traduzisse a carta para o português, a agência de Au pair também fez a tradução e me auxiliou a fazer várias perguntas para a família para verificar se realmente estava tudo correto para fazer o Au pair com eles. Durante esse período contatei várias Au pair´s através do “extinto” orkut, lá, assim como no facebook, tinham comunidades de Au pair´s na Alemanha e de ex-Au pair´s. Assim me informei ao máximo, li muito conversei com elas ouvi muitas experiências negativas e algumas positivas sobre o Au pair na Alemanha. Foi então que me nutri de informações e fiz os seguintes requerimentos para a família:

O que pedi para a família?

  • Dois semestres de curso de alemão pago incluindo materiais de estudo.
  • Passagem de Trem/ônibus pago para o trajeto do curso de alemão.
  • Internet gratuita/ com computador no meu quarto
  • Televisão e aparelho de som no meu quarto
  • Banheiro privado
  • Foto do quarto + Foto do Toalete
  • Foto da casa + Foto das crianças
  • Participar de todos os momentos culturais com a família,  passeios, incluindo festas, eventos…
  • Participar de viagens para outras cidades e países junto com a família.

Obrigações da Família alemã para com a Au pair:

Lembrando que é  de direito da Au pair e deve está escrito em todo o contrato de Au pair:

  • Acomodação, alimentação gratuita
  • seguro de saúde incluindo plano dentário
  • Direito de visitar um curso de alemão
  • 4 semanas de férias remuneradas
  • 1-2 dias por semana de folga
  • Mesada de 260 Euros
  • Envolver a Au pair em eventos culturais facilitar a integração da Au pair na Alemanha.

Meu dia a dia de Au pair

Minha rotina de Au pair foi relativamente tranquila, me receberam super bem, tentaram me integrar bastante na cultura alemã, fizeram contato com outras Au pair´s na cidade para que eu tivesse também contato e amizade com elas. Na minha primeira semana de Au pair não foi nada fácil a comunicação, eu sabia somente um pouco da gramática e algumas palavras, ainda não consegui formular frases completas, somente algumas sentenças, como “Eu estou cansada”, “como você está”, “Meu voô foi tranquilo”, “estou feliz em estar na Alemanha”. Enfim, a família foi suuuuuuuuuuuuuper paciente e eles demonstraram realmente estar abertos a uma nova cultura e a me integrar na cultura deles. Lembro-me que falavam beeeeeeeeeeem devagar, verbo por verbo para eu entender claramente. Cuidei de dois meninos, o Samuel de 18 meses e o Jonathan de 4 anos, foi um imenso aprendizado, tudo muuuuuuuito novo, com o Jonathan aprendi muito alemão por ler muitos livrinhos infantins com ele, ele me corrigia a pronúncia e caso eu não entendesse alguma palavra ele me explicava. Lembro – me de um momento lendo um livrinho, tinha o verbo se “esconder”, e eu não sabia o que siginificava, daí ele se escondeu debaixo da mesa para me mostrar o que siginificava se esconder. A maior parte do tempo cuidava do Samuel, pois o Jonathan já ia para a escolinha, geralmente a mãe dele o deixava na escolinha, ás vezes eu o buscava na escolinha com o Samuela, enquanto a mãe das crianças preparava o almoço. O mais novo, estava na fase de andar pela casa inteira, com ele era muitas risadas e muita fofurisse envolvida, assim como eu, ele também estava aprendendo alemão. 🙂

ok-039

Não precisei me esforçar tanto para as crianças gostarem de mim, foi um envolvimento mútuo e dentro de duas semanas, já brincávamos muito e a diversão era garantida. Mesmo com algumas pirraças, eles aprenderam bem rápido a me respeitar e acompanhar a educação das crianças na Alemanha foi uma experiência enriquecedora. Passeávamos no parque todos os dias, mesmo com neve ou chuva. O bom, é que na Alemanha, independente da região que você mora, você encontra uma área verde com alguns brinquedinhos para as crianças.

A família tinha alguns costumes, acordávamos as 07 horas todos juntos e 07:30 preparávamos o café juntos, e a família antes de começar a comer o café da manhã fazia uma oração, e depois cantavam uma música cristã com as crianças. O pai das crianças é um téologo, trabalha até hoje como bispo em uma igreja evangélica da cidade, a mãe das crianças estudou literatura e é escritora infantil e até hoje trabalha em uma editora de livros. A casa deles era uma verdadeira biblioteca, me encantei com os quartos das duas crianças repletos de livros. Nos fins de semana sempre fazíamos alguma pequena excursão com as crianças, e durante a semana sempre recebíamos visita da avó e bisavó, que era uma grande ajuda também, elas brincavam com as crianças e eles se divertiam muito e além disso tínhamos vários momentos de “prosa”.

Curso de alemão

Geralmente as famílias precisam da sua ajuda de manhã e pela tarde, portanto, seu curso de alemão será à noite e apenas duas vezes por semana, quando você estiver em um nível mais avançado, você terá aulas três vezes por semana. As famílias que pagam seu curso de alemão optam claro pelo curso mais barato, que é o curso da vhs, é super popular, mas não deixa de ser um curso bom, é o seu momento em aperfeiçoar a gramática em conhecer pessoas do mundo inteiro. No meu curso não tinha nenhum brasileiro.  No curso os professores fazem pequenos passeios com os alunos, muitas atividades interativas para nos incentivar a falar organizam festinhas e churrasco e cada um leva a especialidade do seu país.

Viagens com a família de Au pair

Viajei muito com a família, fiz a opção de participar das viagens em família, mesmo sabendo que teria que ajudar a cuidar das crianças, o que para mim, não foi um trabalho, apenas convivência e ajuda normal do dia a dia, pois o que queria era realmente aproveitar o meu intecâmbio , vivenciar a cultura alemã de fato e aproveitar para conhecer e aprender muito com a família, com as viagens e com os simples passeios que fazíamos. Com eles conheci várias cidades da Alemanha, e aprendi mais sobre a história fascinante da Alemanha. Com eles pude conhecer o Sul da França, e pude perceber que o Sul da França é imensamente mais bonito e glamuroso do que Paris, viajei para a Suíça,  conheci as montanhas austríacas e também a bela Itália e degustei a maravilhosa e autêntica pasta e pizza italiana. 🙂

Com essa família tive liberdade de ser quem eu sou, de vivenciar uma cultura na íntegra, de aprender um idioma de uma maneira prática e real.  Aprender… aprender e aprender… pude acompanhar passo a passo o desenvolvimento de crianças “estrangeiras”, me interessei mais pelos diferentes tipos de educação no mundo, pude  amar ainda mais crianças, despertou o meu desejo de ser mãe um dia (hoje sou). A família realmente me ajudou muito no processo de aprendizado do idioma, me lembro que estava de férias do curso de alemão, e a mãe das crianças se propôs a estudar uma vez por semana comigo, na realidade aula de conversação, pois o dia a dia da Au pair é muito corrido, e não tem como conversar sobre temas profundos… então uma vez por semana tínhamos um momento de conversar sobre alguma reportagem, ou ela corrigia os textos que redigia sobre o Brasil, sobre econômia brasileira, sobre a minha monografia no Brasil, entre vários outros temas. Foi uma bênção esta família. Tivemos um respeito mútuo, eles se interessavam pela minha cultura e eu pela cultura alemã, eles respeitavam os meus horários, folgas e férias.

Foto da família de Au pair atual: Visitei a família com minha filha Sophia, o Samuel que na época tinha apenas 18 meses, agora já está com 9 anos.

14711580_698098043674497_6882643990494700349_o

O Au pair pode ser traumático se você “cair” em uma família errada, com problemas de comunicação, com problemas no casamento, ou uma família egoísta que não quer você como um membro da família, mas somente como uma pessoa que trabalha para eles, por isso se você quer realmente fazer o intercâmbio de Au pair, pesquise, leia muito, se informe com outras Au pair`s, imponha os seus direitos, se informe sobre seus direitos e deveres como Au pair, pense em que tipo de família você quer ter, quantas crianças, qual a idade ideal, até mesmo se a família tem algum animal de extimação. Quanto mais informação melhor será a sua adaptação! 🙂

Se você tem dúvidas sobre este assunto, me enviem um e-mail através do blog que irei responder! Se inscreva também no meu canal no You Tube! 🙂 Espero ter ajudado você que sonha com o intercâmbio de Au pair na Alemanha.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s